quinta-feira, maio 22, 2008

A Metamorfose


O espelho embaçado pelo vapor da água quente me inspirava a escrever alguma coisa que ao menos naquele instante demonstrasse a minha pretensa imortalidade. Mas as danadas teimam em se enfurnar em algum buraco escuro e quando necessito dessas moças elas mangam da minha pessoa debaixo das minhas fuças e fazem questão de ser malcriadas, ressurgindo das cinzas quando elas não são mais necessárias.

Sendo assim, só me restou fazer cara de bom tacho ou mesmo a minha famosa cara de paisagem, como se tivesse sido pego em alguma traquinagem devida que me renderia umas boas palmadas ou mesmo alguns minutos sentado no canto da parede refletindo sobre minha ação criminosa. Ou, como diria meu amigo Paulo, faria cara de bondade e tentaria convencer o interlocutor da licitude do fato.

Mas, enfim, eu não sabia o que haveria de ser escrito ali, apenas idéias desconexas que sozinhas não formavam sentença alguma. Se bem que, mesmo assim, meu instante criador se esvairia no instante em que desligasse aquele chuveiro e a temperatura por si só se ocupasse de destruir meu insante escritor. Mas sou teimoso e birrento e faço questão de não ser vencido pelas circunstâncias, mesmo quando estas me provam que são mais vigorosas do que aquele que vos escreve.

Tive a impressão de ter sido jogado em um imenso palco sem prévio ensaio, apenas uma folha em branco sem nada datilografado, sem que me fosse passado o que deveria falar, quando, onde, em que circunstâncias e como me portar em relação ao meu corpo. Mas assim fui e estou até agora. Aos trancos e barrancos, mas vou. Sou insistente por demais e cometo muitas gafes, mas uso de minhas faces bondosas e escapulo aos comentários alheios. Um dia, de tanto insistir, eu acho essas respostas. Aí ficarei impossível. Menos sorumbático e mais paciente. Menos metamorfosse. Mais pessoa. Não sei as consequências que advirão dessa descoberta. Mas me rendo ao desafio. Ai de mim, meus caros!

Um comentário:

coruja cinzenta disse...

Dizer mais o que?
Eita que o moço anda bastante inspirado, isso me deixa tão feliz,
vou beber muuuito ainda dessa fonte.
Um beijão pra ti