sexta-feira, julho 21, 2006


Outro dia desses, estava conversando com uma nova amiga virtual, a Denise, que mora em Valparaíso, cidade na região de Araçatuba, e me veio à mente uma tira em quadrinhos que servia como exercício de um livro de Português da época de escola. Na tirinha, existiam duas simpáticas galinhas, e uma delas dizia à sua amiga que seu lema era "Pão, pão, pão, pão", ao que a outra estranhou e a indagou, na típica curiosidade galinácea: - Mas o certo não seria pão, pão, queijo, queijo?, no que a colega respondeu que sim, mas o queijo estava acima de suas posses. Pois é, fiquei me perguntando quando relembrei dessa cena: qual será o nosso queijo, o que afinal de contas que precisamos deixar pra trás em favor da nossa sobrevivência? Não me refiro somente a bens materiais, já que a galinha se referia exclusivamente às suas condições financeiras, que não lhe dava oportunidade de poder rechear seu prosaico pão.
Falo de algo a meu ver muito mais profundo, dos sentimentos que estão no nosso íntimo e que alguns se percebem dele mais facilmente do que outros, enquanto outros o mascaram durante muito tempo e nem se dão conta, negando a si mesmo e fechando os olhos frente a uma realidade nem sempre agradável. Afinal, quem, ou o que somos e para que estamos aqui? Todos nós, ao menos em algum momento da vida, nos deparamos com essa pergunta, nada tão complexo nem fora da realidade assim. Quais são seus sonhos, suas frustrações, seus desejos, seus amores, suas ânsias, o que lhe faz chorar, sorrir, xingar; enfim, o que te faz ser você? Qual é o seu queijo, não importando aqui se é prato, parmesão, cheddar ou ermenthal?

3 comentários:

Vivi disse...

Primeiro comentario ...ta bunitu !!!!heheh mas vc é um chatão definitivamente..
adoro-te..

Denise disse...

Nossa quem diria,um simples bate papo no msn sair um texto de uma profundidade como essa,coisas que você sabe fazer com maestria.
eita amigão você é show
Beijos

Dionnaton Caio disse...

Grande Mestre Ed!
Depois não venha me perguntar o que me faz ser teu fã! Há tempos não te chamava de mestre, será que te desmereci? NUNCA!!!
Gostei do texto, prometo ler todos, mas só vou comentar quando tiver entendido, porque vc é um bom escritor, e de palavras difíceis, tem que ter consentração pra fixar seus textos. Continue a escrever. E meu queijo, sabe qual é? A amizade, por ser a melhor riqueza que uma pessoa pode ter, serei pobre se um dia não tiver amigos pra poder contar, e você sabe disso mais do que eu! Sou totalmente dependente!
Abraços, Mestre!

by Caio