sexta-feira, maio 11, 2007

Perdeu, perdeu!!!



Imagine uma avenida de grande circulação de automóveis e pedestres em alguma cidade de médio porte, encravada em qualquer estado do nosso país. Em meio ao tumulto provocado por essa aglomeração, um rapaz de estatura mediana dirige um automóvel de modelo popular sem possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), exigida pelas nossas autoridades para condução de quaisquer veículo automotor. Lembre-se de que praticar tal ato é considerado infração grave, de acordo com a nossa Constituição atual.

Mas o fato a ser narrado aqui vai além de tal fato. Entra em cena uma autoridade policial que ordena que esse rapaz estacione o automóvel, e em seguida o revista minuciosamente, com requintes de truculência já conhecidos por aqueles que vivenciaram a sensibilidade e educação presentes nesses guardiões da ordem e bem-estar públicos.

Não espere que após tal situação vexatória esta bela espécime dos representantes da lei tome as medidas cabíveis em tal situação. Com a sua já clássica dose cavalar de cara-de-pau e abuso de autoridade, o pobre coitado exige um "faz-me rir", sabe como é, uma graninha para um churrasco no boteco após extenuante expediente, no que é prontamente atendido pela sua vítima indefesa e até certo ponto criminosa. Acredita-se que nem se cogitou não atender ao pedido sutil desse trabalhador honroso.

Todos nós, pobres mortais habitantes da terra supostamente descoberta por Cabral há 507 anos, já passamos ou sabemos de histórias semelhantes, e a encaramos como se fosse algo banal e sem importância. Mas poucos se questionam de que é do nosso bolso que sai o salário desse trabalhador descrito acima. Sendo assim, sua função seria a de zelar pelo cumprimento da lei, não a de nos achacar ainda mais, como se já não fosse suficiente a excessiva carga tributária aque pagamos ao comprar uma simples embalagem de detergente no mercado mais próximo à nossa residência.

Seria demagogo ao dizer que o condutor não falhou ao dirigir sem o CNH. Mas não é multiplicando o delito que se educa a população e se equaciona a questão. Pergunte, exija, não seja conivente com essa corja bancada por nós, que em vez de nos proteger espalha terror generalizado pelas ruas de nossas cidades. E, principalmente, se for dirigir sem habilitação, acenda uma vela para Frei Damião para não ser parado em uma blitz.

Um comentário:

denise disse...

eita meu querido...
estava com saudades de ler algo seu,
mas esse ai foi só uma pequena dose homeopática,quero mais.
bjs
saudades